O Primeiro de Maio nos jornais anarquistas A Plebe e A Lanterna (1932-1935)

André Rodrigues

Resumo


O presente artigo analisa as comemorações do Primeiro de Maio na cidade de São Paulo, realizadas na década de 1930, por meio dos jornais anarquistas A Plebe e A Lanterna. Na cultura política anarquista esse dia é visto como uma data símbolo da luta dos trabalhadores por melhores condições de trabalho, mas também de luto, em memória dos Mártires de Chicago (1886). Por meio dos jornais analisados pode-se ter uma dimensão de como era organizado e celebrado o Dia do Trabalho, como também compreender os valores, símbolos e imagens utilizados por A Plebe e A Lanterna para divulgar a cultura política anarquista nessa data. A divulgação dessas celebrações nos jornais analisados mostra que, no período abordado, apesar da intensa repressão policial, os anarquistas de São Paulo mantiveram-se firmes em sua convicção de celebrar publicamente o Primeiro de Maio.

 

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


****************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************

Próxima Chamada:

Juventudes e suas Histórias na América Latina: Sociabilidades, Experiências e Resistências 

Data limite para o envio de propostas:

30 de janeiro de 2023 (PRAZO AMPLIADO)

Email para envio de propostas:

vpduespi@gmail.com

 Normas de Publicação


Dúvidas Frequentes

1. Qual a titulação mínima para submissão de artigos? – Mestrado completo

2. Graduandos e especialistas não podem participar? – Sim, podem participar com o envio de resenhas e resumos expandidos de monografias, sendo que estas ultimas devem ter ao máximo 06 meses de defesa.

3. Qual o limite de autores por artigo? – Dois

4. Com que frequência um mesmo autor poderá publicar na revista? – De dois em dois anos (quatro semestres após a publicação do artigo anterior)

5. Quantos artigos posso enviar para ser apreciado e publicado numa edição da revista? - Não limitamos a quantidade de artigos encaminhados para revista  por qualquer autor, porém apenas um artigo será publicado.

6. O sistema de avaliação é às “cegas”?  - Sim, enviamos uma versão do artigo original editada, sem o nome do autor, e este avaliará de acordo com os critérios propostos na ficha de avaliação

7. Para onde devo encaminhar minha proposta textual para que ela seja avaliada? – vpduespi@gmail.com

8. A seção de artigos funciona em fluxo continuo? - Sim

9. Qual a quantidade mínima de páginas para um artigo ser apreciado e publicado? - Quinze páginas

10. Qual a quantidade máxima de páginas para um artigo ser apreciado e publicado? - Vinte páginas

 

Indexadores: