A modernidade do futebol na História

Luiz Carlos Ribeiro

Resumo


A partir da constatação da recorrência do termo "moderno" ou "modernização" no discurso dos agentes envolvidos com o campo futebolístico, em especial dirigentes de entidades e jornalistas especializados, o objetivo do presente ensaio é o de criticar a naturalização do conceito. Para isso realiza um mapeamento da Filosofia Política, localizando na tradição iluminista, em especial em Hegel, os fundamentos ideológicos do termo moderno como uma estratégia das classes hegemônicas do ocidente capitalista. Também propõe discutir como os historiadores do futebol, ao reproduzirem o conceito de forma acrítica e naturalizada, revelam se encontrar no mesmo campo ideológico do liberalismo. Para refletir sobre essa forma de apropriação, são analisados dois autores que, de maneira diferenciada, influenciam as interpretações históricas do futebol: Norbert Elias e Eric Hobsbawm.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


****************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************

v. 11, n. 1 (7): Sociedade, Cultura ,Trabalho: Diálogos sobre fronteiras no Mundo Rural (PARTE - I)

 

 



****************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************************

Próximos dossiês (Chamadas abertas)

História da Educação

Data limite para o envio das propostas: 04 de setembro de 2020

 

História Medieval: Experiencias do passado, perspectivas contemporâneas

Data limite para o envio das propostas: 02 de outubro de 2020


Email para envio de propostas:

vpduespi@gmail.com

 

Normas de Publicação


Indexadores: